30.7.03

A Ave-do-Paraiso em que me transformo tem agora duas asas:

Uma delas é o amor total;

e a outra, a liberdade absoluta.

Se nao bater ambas as duas,
simultaneamente,
.
.
.
.

eu caio.