18.12.02


Hoje de manhã eu assisti ao nascer do Sol. Fui lá fora e sentei-me na primeira fila. Contei trinta e cinco coqueiros à beira do mar e ouvi dois bem-te-vis cantando como se fossem os autores da trilha sonora de um espetáculo que nunca mais vou ver de novo. Amanhã será outro...

As ondas do mar onde de manhã molhei meus pés nunca mais serão as mesmas.

A aurora nunca se repete.
.
.

(Felizmente...)