25.6.02

Uma espécie de milagre.

Maria de Nazaré, a Santíssima, era filha de Ana e Joaquim. Aos doze anos ficou noiva de um vizinho chamado José, mas engravidou antes de casar. Escândalo na família judia — um crime a ser punido com apedrejamento. Mas foi salva por Gabriel à beira de um poço, e pela compreensão de José, que também acreditava em anjos. Além de Jesus, teve outros filhos — mas nenhum desses com o Espírito Santo: Tiago (que se transformaria num dos primeiros bispos cristãos, e depois executado pelo filho de Herodes em Jerusalém), José, Simão, Judas, Ana e Lídia.
Os irmãos, quando crianças, não gostavam muito de Jesus — não preciso nem dizer por quê.
Chamavam Ele de louco.
Aos seis anos, Jesus foi buscar água no riozinho e quebrou a moringa. Teve que trazer água num saco de pano que fez com a camisa.
Maria nem se espantou.
Mas o primeiro milagre público foi feito a pedido da Mãe, numa festa, quando transformou água em vinho.
Como José morreu, deixando Maria com um monte de crianças, Jesus, o primogênito, teria que assumir a marcenaria.

Acontece que, entre ser negociante ou transformar-se em Deus, Ele não teve dúvidas.

Saiu de casa e foi acabar de "matar" seus pais na estrada — e criar histórias para Tomé escrever um livro.
(O resto vocês já sabem.)