19.4.02


Hoje estou amando Henry D.

"Thoreau amava tudo aquilo que o senso comum considerava desprezível. Para além das suas paixões silvestres ele se identificava com os deuses pagãos, com o pensamento oriental, persa, chinês, hindu e árabe, com os indígenas, com os negros escravos que ele queria libertos, com as crianças, as mulheres, os pobres e os loucos. Por outro lado, ele desprezava tudo aquilo que era tido como o orgulho da civilização ocidental: o consumo desenfreado, a exploração do trabalho, o mito do progresso..."
(Nicolau Sevcenko).